Notícias

Saúde esclarece os motivos do atraso da segunda dose da vacina CoronaVac




 

28.07.20. Requalifica 5 leva novo asfalto à avenida José Henriques, bairro Cidade Nova
- Assessoria de Imprensa

 

Pessoas que receberam a primeira dose da vacina CoronaVac entre o final do mês de março e início de abril poderão ter a sua segunda dose atrasada. A mesma situação ocorre em todas as cidades do Estado e demais regiões do Brasil.

 

A Secretaria Municipal de Saúde por meio do Departamento Municipal Imunização esclarece os motivos desse atraso. A Secretaria de Estado de Saúde já havia publicado na semana passada, uma nota técnica informando sobre o possível atraso.

 

A Saúde justifica que o atraso é a falta da matéria prima, ou seja, o insumo que faz parte para produção da vacina CoronaVac, no Instituto Butantã. Com isso, o intervalo ideal entre a primeira e segunda dose da CoronaVac é de 28 dias, entretanto, deverá ultrapassar esse período justamente pelo atraso da chegada desses insumos.

 

As duas últimas etapas que ocorreram a vacinação contra a Covid-19 foram com a vacina Aztrazeneca, que tem um intervalo maior para aplicação da segunda dose, sendo até de 3 meses. Com isso, a produção da primeira e segunda dose dessa vacina, feita pelo Instituto Fiocruz está ocorrendo normalmente.

 

Além disso, vale esclarecer que quem foi imunizado com a CoronaVac não poderá tomar a segunda dose da vacina Astrazeneca e vice-versa.

 

Outro esclarecimento feito pela Saúde é que o Município não é responsável pela distribuição das doses ao grupo prioritário. A definição vem do Ministério da Saúde, que faz a distribuição por grupo prioritário e quantidades, na qual é repassada aos Estados e por fim aos Municípios.

 

Todas as etapas da Campanha também estão sendo acompanhadas e fiscalizadas pelo Conselho Municipal de Saúde e Ministério Público Estadual.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa