Brasilândia promove palestras sobre o enfrentamento ao abuso e à exploração sexual infantojuvenil  

Assistência Social17/05/2019, 21:54:00 Total de Visualizações: 1555

Ação foi realizada no Anfiteatro Ramez Tebet - Assessoria de Comunicação

Mais de 100 adolescentes passaram pelo Anfiteatro Ramez Tebet ao longo dia 17 de maio, onde participaram de uma palestra em alusão ao Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, lembrado no dia 18 de maio em todo o país, entretanto, em Brasilândia foi antecipado para esta sexta-feira.  

 A ação é uma iniciativa do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, com o apoio com a Prefeitura de Brasilândia por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e Conselho Tutelar.   

 Os estudantes das escolas, a municipal Antonio Henrique Filho e a estadual Adilson Alves da Silva, participaram de palestras ministradas pela equipe do Tribunal de Justiça, o assistente social Rubens Ângelo e a psicóloga Antônia Elayne, ambos da comarca de Três Lagoas. Os profissionais alertaram os tipos de violência que a criança e/ou adolescente pode sofrer como também alertou sobre os cuidados da divulgação de imagens íntimas que podem ser propagadas na internet.   

 Além disso, os estudantes assistiram um vídeo sobre relatos de violência sexual de vítimas abusadas na infância e adolescência em várias cidades do país.   

 Outras unidades escolares do município desenvolveram atividades ao longo do dia e da semana, como também espalharam flores amarelas em diversos setores públicos numa forma de lembrar da importância da data.    

Em caso de suspeita de algum abuso ou maltrato de crianças ou adolescentes, a pessoa pode entrar em contato com o Disque 100 ou pelo telefone do Conselho Tutelar, através do número (67) 3546-1859.  

 O Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes tem o objetivo de alertar a população sobre a necessidade de denunciar, combater, punir e não se omitir em casos de violência, caso testemunhe alguma violência sofrida pela criança ou adolescente  

 A data 18 de maio é lembrada em virtude do caso da menina Araceli Crespo, que foi espancada, estuprada e morta. Ela tinha apenas nove anos de idade quando foi levar um envelope para um grupo de rapazes, a pedido da mãe e ao chegar no local marcado, foi violentamente assassinada. 

Fonte: Assessoria de Comunicação